Arquivo da categoria ‘Processo’

Pessoas!!!!

Não, nós não morremos e nem fomos abduzidos!!! É que a correria do dia a dia acabou nos deixando meio sem tempo para fazer nada… Rsrsrsrsrs

Muitas mudanças vieram nesse tempo e muitas coisas foram acontecendo… A demora do federal nos deixou meio desmotivados em escrever e eu tive que cortar qualquer acesso à internet aqui em casa, porque estava nervosa demais a ponto de nem conseguir dormir direito…

Pois é, a coisa estava tensa!!! Mas completando 12 meses de federal, recebemos os pedidos de exames médicos +  pedidos de passaportes!!! Nem acreditamos quando soubemos, foi bem no meio da greve dos correios… Confesso que no dia em que fiquei sabendo nem consegui trabalhar direito!!! Rsrsrsrsrs… Conseguimos alguém para ir buscar o nosso querido combo (santos Lila e Ricardo!!!) e pronto!!!

Fizemos os exames médicos no dia 14/10 e eles foram enviados a Trinidad & Tobago cerca de 01 semana depois… E recebemos os passaportes devidamente carimbados no dia 24/11… Confesso que depois de um federal tão demorado, nem acreditava mais que o nosso dia ia chegar… A comemoração foi tão intensa que quase torci o pé a caminho do trabalho (meu pé ficou bem inchado, tive que ficar fazendo compressas de gelo para aliviar,  pense!!!)…

Pois é! Finalmente o nosso processo em terras brazucas terminou… Nem acredito!!!! Agora estamos revendo os planejamentos e organizando a agenda… Como a minha chefe já sabia do processo, no meu caso tudo foi bem mais simples… O clima que estava chato ficou muito melhor, e acredito que a minha substituta comece na empresa no mês que vem… Sim, nós dois devemos trabalhar até o final de fevereiro, afinal de contas uma graninha a mais nunca é demais, né?? Além disso, é bom também se manter ocupado durante esse último período de espera…

Ale avisou no trampo dele ontem, aparentemente a notícia foi bem recebida, pois lá no hotel onde ele trabalha as pessoas não têm o hábito de avisar quando querem ir embora (normalmente eles começam a faltar e colocar atestados médicos, para forçar uma demissão)… Ele aproveitou a oportunidade e já pediu umas folgas que vamos precisar, pois queremos passar o natal e réveillon juntos (no ano passado ele trabalhou na virada do ano – horrível!!)… E em janeiro vamos tirar uns dias para resolver as últimas pendências…

Ah!!! Já ia esquecendo!! Embarcamos rumo a Québec no dia 20 de março de 2012!!! Emitimos os bilhetes com milhas!! Gastamos exatos R$ 254,40 em dois bilhetes!! As milhas foram gentilmente cedidas por meu sogro (nem sabemos como agradecer!!!), uma economia de aproximadamente R$ 4.500,00 (a tarifa até estava boa, mas o câmbio está alto demais!!!)…

E no domingo vamos nos despedir dos queridos Lila e Ricardo, que embarcam rumo a Montréal!!! Confesso que estou especialmente emocionada, porque nós começamos praticamente juntos… Entramos juntos no Salvador-Québec e fizemos todo o processo com apenas dias de diferença, vê-los partindo agora é a prova de que daqui a pouco iremos também… Mas estou muito feliz por eles!!! Só quem passa por esse processo sabe como é difícil e como ele exige um preparo emocional grande! E muito companheirismo…

E agora, na reta final, confesso que bateu um medinho, sabe?? Será que meu francês tá bom? Será que vou conseguir entender as pessoas falando comigo?? Será que serei entendida pelas pessoas? E se estivermos levando pouco dinheiro? E se? E se??? Acho que esse medo é natural, e estou  tentando lidar com isso da melhor maneira possível… Revendo os planejamentos todos, repassando os currículos, revendo o que vamos precisar fazer quando chegarmos lá… Devemos nos dar umas férias do francês neste fim de ano, mas em janeiro vamos começar a FEL (achamos melhor deixar para fazer quando tivéssemos tempo de fazer direito) e vamos fazer até bem próximo da viagem… Assim ainda chegamos um pouco mais afiados no francês…

No natal entregamos o nosso apartamento (que é alugado) e vamos ficar na casa da minha mãe… Vai ser bem puxado, já que me acostumei a ir pro trabalho andando e almoçar em casa todos os dias, mas acho que não vou morrer não (ela mora no outro extremo da cidade)… Rsrsrsrsrsrs… Em janeiro tenho 15 dias de férias, que estavam pendentes, ainda tem a semana do carnaval, que não trabalho (a agência fica na Barra, bem no meio da bagunça do carnaval, não tem nem condições de funcionarmos durante a festa)… Então serão  somente 05 semanas de trabalho em 2012, antes de partir…

Aos que ainda estão na fila, aguardando o federal andar,  digo uma coisa: por mais que achemos que o nosso dia não vai chegar, ele chega sim! Só mais um pouco de paciência (sei que agora que o meu processo finalizou é fácil falar, mas não há outra coisa que possamos dizer). Aos que acabaram de receber o CSQ, parabéns!!! Tivemos vários amigos que fizeram entrevistas aqui em ssalvador nas duas últimas semanas e não conhecemos ninguém que perdeu!!! Isso não quer dizer que não houve reprovados, mas todos os nossos amigos conseguiram!!! É bom ver que eles venceram uma etapa e que em breve estaremos todos juntos do lado de lá!!! Estou muito feliz!!!

Bom, é isso!! Como tinha muito tempo sem escrever (gente, fui olhar hoje e foram quase 04 meses!!!), acabei me prolongando demais, foram muitas novidades!!! Espero agora poder escrever com  mais frequência, vamos ver se vou conseguir, com tantas coisas para fazer e arrumar!!!

Beijos eufóricos a todos!!!

Vivi

Olá pessoas!!!

Sim, ontem aconteceu mais um encontro e eu ainda fico boba com a quantidade de gente nova que aparece!!! Juro que fico me perguntando todos os dias se ainda vai ficar alguém por aqui, porque é muita gente indo embora!!!! Mas exageros à parte, o encontro, para variar, foi maravilhoso, apesar de maridinho não ter podido ir… A energia das pessoas é algo que nos renova e, como Celso mesmo disse, por mim haveria encontro toda semana – então vou engrossar o caldo dos que acham que devemos nos encontrar com uma regularidade maior, só acho que poderíamos fazer encontros mais no estilo 0800, ou não vamos guardar dinheiro suficiente para a mudança para o Canadá… Hahahaha!!!

Uma das boas notícias é que 80% do grupo, mais ou menos, passou pela rodada de entrevistas que tivemos aqui em Salvador nas duas últimas semanas e tivemos 100% de aprovação!!! É de dar inveja a qualquer cursinho pré-vestibular!!! Então, eu nem preciso dizer o quanto estávamos todos felizes, não é mesmo???

A outra boa notícia é que mandamos o Federal. Chegou lá na sexta-feira, às 09:30. Pra quem me conhece o suficiente, já sabe o quanto Murphy exerce influência na minha vida e que algumas coisas tiveram meio que dar “errado” antes de conseguirmos enviar os documentos… Primeiro, achamos que havíamos perdido o CSQ (tão bem guardado que não achamos… Hahahahaha), e segundo, esquecemos o comprovante de pagamento da taxa na casa do sogro, onde levamos para tirar cópia… Mas esse sufoco durou pouco, encontramos tudo e enviamos os benditos… Agora é esperar, estudar, relaxar e curtir ao máximo tudo por aqui: amigos, família, praia (tudo bem que lá também tem, mas quem vai entrar naquela água congelante???? E quem vai me convencer de que as praias de lá são mais bonitas que as nossas??? Ainda bem que ninguém se pronunciou, pois não há argumentos nesse caso)… Apesar de sabermos que teremos tantas outras coisas das quais sentiremos falta quando viermos ao Brasil visitar a família… Com relação ao Federal, não quero criar muitas expectativas, pois tenho visto a demora dos “dezembrinos” para receber os pedidos de exames, então eu apenas digo que os enviei, mas tento não pensar muito nisso, para não esperar demais… Por sinal, deixo aqui registrado que tenho fé que o pessoal de dezembro vai receber logo os exames, e que imagino como é ruim essa espera, principalmente se levarmos em conta os timelines anteriores, mas vai dar tudo certo!!! Envio nossas energias positivas e estamos aqui na torcida por vocês!!!

A outra boa notícia é que tivemos duas presenças ilustres no nosso encontro, amigos muito gentis que fizemos nesse processo e que, com certeza, guardaremos no coração pelo resto de nossa caminhada – e não importa para onde os caminhos nos levem… Lucas e Naty, adoramos falar com vocês!!! E estamos morrendo de saudades!!! Espero que nos vejamos novamente em breve!!! Apesar de não estarem fisicamente conosco foi muito bom ver vocês!!! Esperamos que o Maranhão traga muitas coisas boas!!!

Que os outros amigos não fiquem com ciúmes (isso vai mais diretamente para Celso, o ciumento da vez), mas quando as pessoas das quais gostamos estão ausentes os sentimentos afloram, né???

A outra novidade é que eu e Ale trocamos de emprego… Sim!!! Agora eu tenho vida, numa agência de viagens pertinho de casa e nem acredito no quanto essa mudança está me fazendo bem, apesar de sentir muita falta dos meus antigos colegas de trabalho, que eram verdadeiros amigos… Mas assim é a vida, não é mesmo? E agora consigo me dedicar mais ao estudo do francês, ao meu maridinho e à família, além de poder sair com os amigos no fim de semana, porque ninguém merece ir trabalhar e ver todo mundo indo para a praia… Hahahahaha!!! Mas não vamos entrar muito nesses detalhes, porque maridinho ainda tem a vida escrava de sempre, aos domingos e tudo o mais, só mudou para uma empresa que valoriza muito mais os funcionários…

Bom, então é isso, pessoal!!! Boas vindas aos novos membros desse grupo de loucos!!!! Segue a foto do grupo, como de praxe, e para não ter ninguém reclamando que não apareceu na foto, usaram o timer dessa vez… Hahahahaahaha!!!

À bientôt!!!

Entrevista e CSQ!!!!

Publicado: 16/10/2010 em Processo
Tags:,

Pessoas,

Sei que demoramos muito a dar notícias, mas essa felicidade que não passa nos deixa eufóricos!!!! Nossa entrevista foi no dia 11/10 e estava marcada para as 15:30… Nem preciso dizer que deu tudo certo, né???

Desde a hora que acordamos (eu, às 06:30 da manhã, porque pra variar estava nervosa demais), foi toda uma “preparação”. Conferi pela milionésima vez todos os documentos, organizei na mochila, conferi se todas as pastas estavam devidamente guardadas, etc. Alexandre acorda, às 09:00, querendo ir à praia pra dar um mergulho. Tudo bem… Ele tem essa relação com o mar (não sei como será quando estivermos no Québec, ninguém em sã consciência se arrisca naquelas águas congelantes)… Fomos à praia, ELE deu o mergulho (eu havia ficado o dia anterior inteirinho arrumando os meus cabelos, por acaso alguém acha que eu iria estragar horas de trabalho??? Não, né???). Tomamos uma aguinha de coco, ele ainda tomou um caldo de cana e voltamos pra casa. Eu, desesperada como sou, ainda dei uma estudada no dossiê, cochilei um pouco e, por volta das 11:00, comecei a me arrumar… Mas a sua entrevista não era às 15:30??? – você deve estar se perguntando… E eu te respondo: você me conhece??? Então sabe bem como eu sou agoniada pra essas coisas!!! Nos preparamos tanto que nada poderia dar errado, então comecei mesmo a me arrumar bem cedo.

Havíamos resolvido almoçar fora, porque ninguém merece mexer em panelas com os nervos à flor da pele, como os meus estavam. E quem iria lavar os pratos depois??? É… Achamos melhor ir comer na rua… Mas antes de ir almoçar, resolvemos dar uma passada no CLIC… Por volta das 12:30 lá estamos nós, abraçando Lise e Ivan e Thiza, que estavam fazendo a sua simulação… Foi mal por ter interrompido a horinha de vocês, mas eu não tinha condições de ir sem antes ouvir Lise dizer que tudo daria certo… Nem sei como desci as escadas, desde ali eu já estava nervosa demais… Fomos ao Barra, almoçamos e, por volta das 14:10, mais ou menos, saímos de lá.

Chegamos no Othon por volta das 14:15. Pega mochila, mapa, vê se não esqueceu nada no carro, olha o cabelo, arruma a gola da camisa de Alexandre, pega o paletó… Sim, eu fiz Alexandre vestir paletó e gravata. Demais??? Não sei, mas eu o obriguei a ir assim, ou eu iria surtar… Subimos até o 12º andar e fomos procurar o lugar da entrevista… Olhei prum lado e pro outro e não vi ninguém. “Rapaz, eu acho que a gente tá no lugar errado. Não tem ninguém aqui! Não tem entrevista marcada 14:30? Nem 15:00?????” – Isso eu falei pra Alexandre, e ainda fiz o coitado descer na recepção pra perguntar se era ali mesmo… Hahahahaha!!! Será que eu tava nervosa???? Aí me lembrei de Eric, que falou que tinha esperado na frente do elevador… E lembrei também de Lucas e Naty, tentando imaginar onde eles ficaram tirando as fotos… Alexandre subiu e falou que era ali mesmo. É, então vamos esperar… Mais uma vez lendo o dossiê, dessa vez ouvindo um pouco de música (eu conseguia ouvir os meus ossos se batendo, de tanto que eu tremia)… Alexandre derretendo debaixo de toda aquela roupa, reclamando do calor…

Por volta de uns 20 minutos depois sai da sala uma menina que tinha acabado de receber o CSQ. Ela tava feliz pra caramba, falou com a gente bem rapidinho e disse que o horário das entrevistas estava adiantado, que ela bateu na porta e avisou que já tinha chegado e a Isabelle tinha perguntado se ela já queria começar. Fiquei menos nervosa. Pelo menos quem fez a entrevista antes da gente recebeu o CSQ, isso nos deixa mais otimistas, né??? Uns 5 minutos depois, ela nos chama.

Parecia que eu estava entrando em um presídio cheio dos criminosos mais perigosos, eu não sei como consegui andar da frente do elevador até a sala, de tanto que tremia!!!! Hahahahaha!!! Primeiro pé dentro da sala e meus olhos encheram de lágrimas!!! Hahahahaha!!! Eu sabia que eu ia chorar!!! E quando eu falava tinha gente que dizia, que nada, você não vai chorar não!!!! Hahahahaha!!!! Pediu nossos passaportes antes da gente se arrumar, imagine que eu fiquei ainda mais agoniada!!! Hahahaha!!! Pedimos um momento pra poder arrumar as pastinhas na mesa, como Lise treinou com a gente, pegar o dossiê e as outras coisinhas que levamos. Entregamos os passaportes, então ela pediu a certidão de casamento e comentou que a gente tinha casado há pouco tempo (casamos em junho, pra poder mandar os papéis)… Se ela questionasse, tínhamos levado fotos mais antigas nossas, que dava pra a gente mostrar que estávamos juntos antes disso… Mas ela só fez esse comentário mesmo…

Em seguida pediu os nossos diplomas e a carteira de trabalho de Alexandre. Perguntou a ele dos empregos que ele teve e, em seguida, perguntou em inglês o que ele fazia no emprego atual. Apesar de se enrolar um pouco no começo, ele conseguiu responder direitinho e ela voltou pro francês. Aí perguntou há quanto tempo eu estou no trabalho atual. Respondi que há quase 1 ano e fui dizendo onde eu trabalhava, ao que correspondia no Québec e o que eu fazia.

Ela perguntou há quanto tempo nós estudávamos francês e essa foi a 1ª mancada de Alê. Ele começou a dizer que a gente tinha visto uma matéria no jornal e que a gente tinha começado a pesquisar e talz, e ela calada, esperando ele terminar de responder. Quando ele calou a boca, eu respondi à pergunta. Falei do CLIC, que era uma escola onde a gente aprendia o francês québécois, etc e talz… Aí ela perguntou também se tínhamos amigos ou família no Québec, e a gente falou que tinha amigos… Alê lembrou de falar de um casal de quebecas que conhecemos no mês passado e a gente nem lembrou de falar de quem já tá lá ou do grupo. E olhe que colocamos uma foto do grupo no dossiê… Hahahahaha!!!!

Depois perguntou aquilo que a gente sempre treina: Por que Ville de Québec. Deixamos clara a intenção de construir família lá, falamos aquilo que todo mundo fala sobre a violência, etc, etc, etc… E tivemos espaço para a 2ª mancada de Alê. Ela perguntou o que atraía a gente para o Québec (o famoso por que Québec) e Alê começou a falar dos eventos e mostrou uma lista de eventos que levamos… De novo, ela deixou ele terminar de falar e, antes que ela pudesse dizer qualquer coisa, eu respondi à pergunta. Aí ela perguntou qual seria o maior desafio pra a gente, uma vez chegando ao Québec. Eu respondi que achava que o maior de todos era o frio, porque aqui é muito quente e depois falei que a integração à cultura e à vida quebequenses também seriam bem difíceis, mas que a gente estava se preparando para isso.

Então ela perguntou sobre o mercado de trabalho, o que a gente achava que conseguiria fazer lá e mostramos o dossiê e um livrinho que levamos com a relação de hotéis e restaurantes na Capital Nacional, e Alê foi explicando o que a gente tinha planejado e pesquisado. Eu falei bem pouco sobre o meu plano de trabalho, porque ela na verdade nem perguntou, então eu meio que comentei só pra ela saber que a gente tinha verificado as possibilidades pros 2.

Depois ela começou a digitar um monte de coisa no computador. E eu nervosa que estava, o tempo não passava… Daí a gente lembrou que não tinha mostrado a ela o mapa que a gente fez. Como assim ela não viu o mapa?!?!?!? Pedi permissão para mostrá-lo e ela, que com muita boa vontade, permitiu. E foi quando a gente conseguiu identificar uma reação de verdade nela. Ela arregalou os olhos e aí a gente mostrou onde pretendia morar e explicou os símbolos que a gente usou pra marcar os lugares (segundo a nossa amiga geógrafa Anne, nosso mapa não era realmente um mapa, porque a gente não colocou legenda e nem escala… Foi mal amiga, mas gente leiga é f***!!!! Da próxima vez juro que vou prestar atenção nisso!!! Hahahahaha!!!!), de qualquer forma, explicamos o que a gente marcou e ela começou a apontar onde a gente poderia fazer francisação, onde era bom morar, etc, etc… Aí Alê perguntou a ela se ela era de Ville de Québec. Ela nasceu lá! Mas mora atualmente em Montréal… Como assim mora em Montréal?!?!?!? Aí eu perguntei a ela por que ela tinha se mudado e se Ville de Québec não era uma boa cidade para morar…

Depois disso, ela voltou a digitar e eu ficava pensando: “Meu Deus, ela tá digitando muita coisa, acho que ela está escrevendo os motivos de não termos recebido o CSQ” e minha mão começou a gelar… Quando terminou de digitar, a impressora começou a funcionar. Aí ela disse que a gente tinha sido aceito e a gente ficou olhando pra ela com cara de pastel. Aí ela vira pra mim e fala: j’ai accepté votre dossier. Aí eu olho pra ela e falo: Oui? e ela responde: Oui! Aí vocês já sabem, né??? Eu comecei a chorar de novo e agradecer… E ela rindo de nossa reação… Aí ela explicou o federal, o que a gente tinha que fazer, a FEL, que a gente tinha direito, etc, etc, etc… E ela perguntou se a gente tinha alguma dúvida e eu perguntei sobre o caso da troca de requerente. Ela explicou que era por conta da pontuação extra que a área de Adm. tem, que Turismo não tem pontuação extra, então era melhor pra a gente se fosse assim… Depois eu perguntei a ela se era a 1ª vez dela no Brasil, se tinha conseguido sair pra conhecer alguma coisa da cidade e ela disse que não, que havia chegado no sábado à tarde e que não tinha feito nada ainda…

O que achamos:

Ela é super tranquila e nos deixou “conduzir” a entrevista, no sentido de que nos deixava falar à vontade, mesmo que não fosse respondendo ao que tinha perguntado. Não ficou corrigindo os erros, não ficou pressionando e não falou nada nas 2 vezes que Alê não entendeu bem a pergunta. Também não teceu muitos elogios, na verdade ela não demonstrou se estava satisfeita ou não, apenas quando a gente mostrou o mapa. Quando a gente abriu o dossiê ela meio que deixou escapar também um espanto, mas muito contido. A entrevista não foi focada somente em Alê, os dois falaram igualmente. Às vezes ela perguntava olhando pra um e o outro respondia, e ela não interrompeu nem nada. Foi ótimo, porque um pôde ajudar o outro durante a entrevista. Ela foi super simpática. Sinceramente, vou repetir o que todo mundo fala, mas as simulações com Lise são muito mais complicadas, porque ela às vezes nos faz perguntas que a gente nunca teria imaginado que poderiam ser perguntadas… Isso é bom, porque você se prepara mais. Nós levamos, além do dossiê (que prometo tentar disponibilizar para download futuramente), um livrinho com a lista de todos os eventos e festivais, bibliotecas, parques e jardins da cidade. Além disso, levamos um outro livrinho com todos os restaurantes e hotéis da Capital Nacional, 01 mapa impresso em A1 e  uma pastinha com alguns documentos extras e materiais que achamos após fecharmos o dossiê, mas que pensamos ser interessantes para levar, como mapas com as linhas de ônibus na cidade (brigadão Lila e Ric!!), lista dos recordes batidos pela cidade (besteira, mas que achamos legal levar), um material que recebemos de lá que fala sobre o turismo na cidade e que traz informações muito interessantes (principalmente para a nossa área)… Sim, nós levamos muita coisa, mas acho que isso foi fundamental para a nossa “tranqüilidade”… Apesar de estar bem nervosa, nós dominamos muito os assuntos que levamos e demonstramos isso durante a entrevista. Acho que o principal é se sentir seguro, e com aquela situação da troca de requerentes, nós montamos uma verdadeira operação de guerra!!!

Vamos dar o crédito do belo dossiê a minha irmã, que é muito talentosa… Quem for aluno do CLIC pode pedir a Lise para dar uma olhada, pois deixamos uma cópia lá. Aí vocês entenderão do que estou falando! Keka, muito obrigada pela sua dedicação a nos ajudar, isso foi muito importante para nós!!! Você é o máximo!!! Ah!!! Quem precisar de uma “ajudinha” no design do dossiê, fique à vontade, ela irá adorar!!!

Bom, espero ter ajudado com o nosso relato… Quem tiver dúvidas, pois é óbvio que esqueci de mencionar algo – apesar do post enorme – sinta-se à vontade para deixar nos comentários ou enviar por e-mail.

Agora é a fase da preparação do federal (não, nós ainda não enviamos, mas essa semana este assunto estará encerrado). Quando enviarmos, avisamos por aqui…

Abração e até mais!!!

 

Pessoas!!!

Não consigo nem pensar em uma forma racional de externar a nossa alegria e o alívio após recebermos o e-mail com a convocação para a entrevista… Sim, eu sou dramática, mas como não ser quando tudo conspira pra isso?

Ok, eu vou explicar. Enviamos os nossos papéis no dia 19/06 (post aqui). No dia 09/07, foi feito o débito no cartão de crédito (post aqui). Até aí, tudo bem. Mas começou a demorar demais… Todo mundo recebendo cartinha e a gente nada. Mandamos um e-mail ao BIQ e até hoje espero a resposta… Tudo bem, o drama faz parte de minha vida. Estávamos naquele clima de especulação com relação às datas das entrevistas e as convocações começaram a chegar. E a gente não tinha recebido nem a 1ª carta… Aí, pra variar, eu comecei a ficar apreensiva. Mas até aí, ainda estava tudo bem. Até que olhamos na caixa de correio, já prestes a mandar outro e-mail ao BIQ, e vimos que tinha carta. Ai, que emoção!!!! Durou pouco. Olhei a carta, estava endereçada a Alexandre. Estranho, eu era a requerente principal… Eles estavam dizendo que não atingimos a pontuação mínima nem pra chegar à entrevista. Gente, vocês não imaginam como eu me senti frustrada… E Alê numa calma que eu não sabia de onde saía… Mas tínhamos uma opção: trocar o requerente principal. Alguém já ouviu falar disso??? Porque eu, em milhares de blogs pelos quais passeio todos os dias, nunca ouvi nenhum comentário a respeito. Pois é. Pediram que enviássemos outra declaração de autonomia financeira.

Como recebemos a carta na sexta, no finalzinho da manhã, saímos correndo pro CLIC porque Lise tinha que ver essa carta e me dizer se eu tinha entendido tudo direito. Confesso que fui atingida por uma onda de pessimismo e que a minha voz estava até meio embaçada quando falei com ela, mas ela nos orientou a enviar o que eles estavam pedindo, junto com uma carta e que também mandasse outro e-mail. Como sou o ser mais desesperado da face da terra, também ligamos, mas não conseguimos falar. Tudo bem. Neste dia, eu tive um pequeno atraso de 3 horas no trabalho, ficamos tempo demais com Lise, tentando entender que conta fizemos errada…

Queríamos mandar no sábado, pra garantir que tudo chegaria na segunda-feira e ter uma chance mínima de entrar nessa rodada de entrevistas. Alexandre não encontrou nenhum lugar aberto para imprimir os formulários e eu esqueci a carta que o BIQ nos enviou em cima da mesa (Lise nos aconselhou a mandar uma cópia, pro caso de eles precisarem de uma contextualização). Deixamos pra enviar na segunda…

Pronto, tudo certo. Ontem, no trabalho, Alê me liga pra dizer que a Aline (funcionária do BIQ) havia respondido ao e-mail. Que rápido! No e-mail dizia que seríamos convocados para a entrevista em breve. A gente só não esperava que seria tão breve. Em menos de 10 minutos Alê me liga de novo pra contar da convocação. Ufa, que alívio!!!! O melhor presente de aniversário que alguém podia ganhar!!!! É, o meu aniversário foi na segunda, mas um dia de atraso não estraga o presente…

É, gente.  Estávamos esperando o desfecho da história pra poder ter o que dizer. Apenas algumas pessoas ficaram sabendo desse “probleminha” pelo qual passamos, até porque ninguém sabia no que ia dar. Mas confesso que até achei que desta vez iríamos ficar por aqui. Digo desta vez porque a gente não ia desistir. Daríamos entrada novamente após mais algum tempo de francês.

Decidimos falar disso porque vemos que muita gente escreve apenas as boas notícias em seus blogs e achamos que as notícias não tão agradáveis também devem ser contadas. Tudo faz parte do processo. E não achamos possível que isso tenha acontecido somente conosco… E fizemos a nossa parte, caso mais alguém passe por esta situação.

Confesso que essa situação causou uma mudança tremenda em meu modo de agir e de pensar com relação ao processo. Eu não contava com a possibilidade de não conseguirmos o visto. Bom e ruim. Na verdade, acho que tá mais pra ruim que pra bom. Agora conseguimos enxergar algumas coisas com mais clareza e podemos nos preparar melhor… E acho que é isso que devemos fazer: encarar cada falha nossa e tentar elaborar um plano pra corrigí-las. E temos que esperar o melhor, mas nos preparar para o pior, ou não sabemos como agir diante de algo que não estivesse em nossos planos… E sabemos que, na vida, nem tudo sai como planejamos…

Era pra ser um post rápido, mas eu não consigo… É mais forte que eu… Hahahahaha!!!! Bom, agora é colocar a cara no livro, dormir, sonhar e acordar em francês!!!

Até!!!

Pessoas!!!

Após 20 intermináveis dias, eis que temos alguma novidade sobre o nosso processo… Finalmente, né??? Porque eu já não estava mais suportando essa situação de não ter notícias… Olha gente, eu nunca fiquei tão feliz por saber que tinha mais uma conta (e tão alta) pra pagar!!! Realmente esse processo nos faz rever diversos conceitos e o nosso ponto de vista sobre determinados assuntos…

Ainda não recebemos nenhuma cartinha, inclusive mandamos um e-mail pro BIQ na quarta-feira, mas ainda não tivemos resposta. Mas pelo menos já sabemos que os papéis de fato estão lá e que alguém se deu ao trabalho de abrir os 2 envelopes em que pusemos cuidadosamente os documentos. Isso já é, por si só, reconfortante…

Agora só começa o pânico pra agilizar o dossiê, que ainda não saímos das linhas gerais. Com relação à próxima rodada de entrevistas, tô vendo que o tempo tá passando e ninguém recebeu convocação ainda. Será que vai ter mesmo essa rodada em setembro??? Bom, só esperando pra ver. Por via das dúvidas, já agendamos umas aulas extras de conversação, pra nos prepararmos melhor. Caso sejamos convocados em setembro, pelo menos vamos um pouco mais tranquilos porque aí não somos pegos desprevenidos.

Esse post era pra ser rapidinho, mas eu já tô me alongando demais. Fica a notícia, que tinha que ser compartilhada com vocês, que nos acompanham e torcem por nós…

Vamos cruzar os dedos e torcer pra que tudo seja rápido!!!

Abração e até a próxima boa notícia!!!!

Como prometido, segue o passo a passo para preenchimento do DCS – lembrando que, no caso de um casal, deve ser preenchido um formlário para cada um:

  • Je remplis cette demande à titre de: marca se é o requerente principal ou acompanhante.
  • Mais abaixo, você deve marcar a opção Travailleur qualifié (permanent).
  • Identification: neste item serão fornecidas informações pessoais:
    • Nom de famille à la naissance: sobrenome completo (caso seja casado e tenha mudado o nome, tem um campo específico para este fim, mais abaixo).
    • Prénom: Nome.
    • Nom de famille après le mariage: aqui entra o sobrenome completo de casada.
    • Sexe: se masculino ou feminino.
    • Autre nom que vous utilisez ou sous lequel vous êtes connu: outros sobrenomes que você utiliza ou aquele pelo qual você é conhecido.
    • Nº de paseport ou carte d’identité: nº do passaporte.
    • Date de naissance: data de nascimento.
    • Lieu de naissance: cidade onde nasceu.
    • Province / Région: Estado.
    • Citoyenneté: nacionalidade.
  • État matrimonial actuel: deve-se preencher o estado civil neste campo. Célibataire para solteiro, Marié para casado, Conjoint de fait, para regime de união estável, Séparé para separado, Divorcé para divorciado ou, Mariage annulé para casamento anulado ou, Veuf para viúvo.
    • Vous êtes-vous marié plus d’une fois: colocar Oui caso tenha se casado mais de uma vez.
  • Addresse de résidence: seu endereço. Usar o formato indicado no formulário
    • Ville: cidade.
    • Province / Région: estado.
    • Code postal: CEP.
    • Pays: país.
    • Abaixo, somente no caso o endereço de correspondencia ser diferente do endereço de moradia. Caso contrário, deve ser deixado em branco.
    • Nº de téléphone (domicile): telefone residencial.
    • Nº de téléphone (travail): t
    • Courriel (e-mail): e-mail.
    • Autre (précisez): telefone celular (identificar).
    • Nº de télécopieur (domicile): fax residencial.
    • Nº de télécopieur (travail): fax comercial.
    • Autre (précisez): outro numero de fax (identificar).
  • Membros da família que irão ou não te acompanhar:
    • Nom de famille à la naissance: todos os sobrenomes de solteiro (nascença).
    • Prénom: nome.
    • Lien de parenté: parentesco.
    • Date de naissance: data de nascimento.
    • Ville et pays de naisssance: cidade e país de nascimento.
    • Vous accompagneront: Oui caso o parente vá imigrar com você ou Non, caso contrário.

  • Nome e endereços dos filhos que irão te acompanhar (caso tenham outro endereço de residência).
  • Informação de outros pedidos de entrada no Canadá: Preencher Non ou Oui, caso já tenha feito uma demanda destas antes; Province (província); Date (data); Acceptée (aceita), Refusée (recusada), En attente d’une décision (aguardando decisão).
    • Une demande de séjour temporaire;
    • Une demande d’immigration permanente;
    • Une demande d’asile.
  • Indicação das cidades onde você morou nos últimos 10 anos: aqui só e preciso preencher nos casos onde a residência foi a partir de 6 meses;
  • Estudos (exceto primários): deve ser preenchido a partir do mais recente. Como preenchemos em português, não foi necessário fazer nenhuma equivalência com as nomenclaturas lá do Québec. Os campos são bastante simples:
    • De: ano/mês de início do curso.
    • A: ano/mês de conclusão do curso.
    • Nom de l’établissement /Pays: instituição de ensino e país.
    • Titre du diplôme abtenu: nome do diploma obtido (o nome do curso).
    • Année d’obtention du diplôme: ano de obtenção do diploma.
    • Specialisation: especialização (por exemplo: faculdade de adm com ênfase em alguma área).
  • Experiência profissional: nestes 2 quadros, devem ser listados os seus empregos nos últimos 5 anos e as atividades desenvolvidas em cada um deles – começando pelo mais recente. Os campos do 1º quadro são muito parecidos com aqueles do quadro dos estudos (então vou pular este parte).
  • Estadias no Québec nos últimos 10 anos: aqui devem ser colocadas todas as vezes que você visitou o Québec, motivos, data de entrada e saída.
  • Conhecimentos linguísticos: aqui você deve colocar seus conhecimentos de inglês e francês, classificando-os em compreensão e expressão oral. Nesta etapa, preferimos fazer uma avaliação com a nossa professora de francês (por sinal, como ela é canadense, pôde nos avaliar nos 2 idiomas) – assim tivemos uma informação um pouco mais precisa, o que evitou colocássemos demais ou de menos.
  • Família no Québec: aqui devemos preencher somente em caso de termos familiares residindo no Québec.
  • Onde se estabalecer: aqui você diz onde pretende morar.
  • Principal cargo visado no Québec: aqui você coloca o cargo que pretende exercer no Québec, e outros cargos diretamente ligados à sua formação.
  • Oferta de emprego no Québec: aqui basta informar se já tem uma oferta de emprego e, caso afirmativo, se essa oferta já foi validada junto ao Ministério de Imigração do Québec.
  • Situação atual: aqui você preenche se está empregado, desempregado, estudando, etc.
  • Como tomou conhecimento do processo de imigração: aqui basta marcar a opção correspondente.

Depois disso, basta juntar aqueles documentos citados anteriormente, assinar o anexo Déclarations sur les valeurs communes de la societé québecoise, assinar também a próxima página (nesta aqui assinam os 2) e pronto! O formulário DCS está pronto! Porém, ainda ficam faltando: a declaração de esposa ou união estável (vem uma anexada ao arquivo PDF do Escritório de Imigração, porém tem uma um pouquinho de nada diferente no mesmo site. Nós usamos o arquivo que veio separado e descartamos o anexo, mas cada um é cada um). É preciso também preencher e mandar junto o contrato de autonomia financeira, onde você deve declarar quanto pretende levar para o Canadá. Claro que se for levar mais, não tem problema, mas tem um mínimo exigido pelo Governo (está no próprio documento). Nós seguimos o conselho do Jeison, do blog, Su & Je e colocamos $1500 a mais.

Bom, é basicamente isso! O post ficou longo, mas espero que ajude aos próximos. Acredito que é sempre bom ver como os outros fizeram, mas lembro que o mais importante de tudo é verificar as informações oficiais. E, se como no nosso caso, o seu professor de francês é bem inteirado sobre o processo, fazer uma consulta também pode evitar dores de cabeça futuras. No mais, é só preencher com calma e verificar mais de uma vez as informações, pra não ter atrasos no processo…

Bonne chance à tous!

Depois de passarmos pelo aperto para preencher o DCS e tendo em vista algumas dúvidas que surgiram durante essa saga, resolvemos seguir os passos de Su & Je e elaborar um passo a passo mais atualizado de como preencher a documentação para o processo pra Québec.

Primeiro, vamos salientar que aqui não é a verdade absoluta e sim como fizemos com os nossos documentos. Vale lembrar também que o processo muda o tempo inteiro e os formulários são também modificados. É sempre uma boa idéia visitar o site da Imigração pra conferir a Lista de Documentos e Formulários para o processo. A fonte oficial é sempre a mais confiável, não vamos esquecer disso! Lá tem tudo explicadinho e em português, pra quem não tem ainda bom francês ou inglês.

Bom, nossos formulários foram todos, sem exceção, preenchidos em português. Até pensamos em preenchê-los em francês, mas Lise nos falou que não tem diferença nenhuma entre francês e português – nesta fase do processo. Como ela está sempre por dentro dessas informações, seguimos o conselho dela. Quem quiser, pode também tentar fazer em francês.

Fizemos da seguinte forma:

  • Foram preenchidos 2 formulários – um pra mim, requerente principal, um pra Alê;
  • Ordem dos documentos (Essa orientação nós pegamos com a Santa Lise, que organizou rapidinho);
    • 1 Foto (Colocamos fotos no formato passaporte, porque li, no próprio formulário, que deveriam ser neste formato, porém Lise disse que não havia necessidade de serem deste tamanho – por sinal, vários casais que conhecemos aqui de Salvador mandaram com fotos 3×4);
    • Déclaration des époux ou conjoint de fait (Preenchemos apenas 1, que foi assinada pelos dois e anexada à documentação do requerente principal);
    • Formulário para pagamento com cartão de crédito (Aqui acho importante ressaltar que deve ser 1 para cada requerente – nós pensávamos que poderia ser somente 1 com o valor total, mas não pode);
    • Demande de certificat de sélection preenchido e assinado (Já já voltaremos a essa parte, para fazer o passo a passo do preenchimento);
    • Certidão de Casamento (só precisa colocar na documentação do requerente principal;
    • Certidão de Nascimento (cada um coloca a sua anexada à sua documentação);
    • Cópia do CPF (mesmo caso da certidão de nascimento);
    • Cópia do passaporte (fotos e dados pessoais – se tiver algum visto válido, também precisa mandar a cópia);
    • Currículo;
    • Cópia dos certificados de cursos de idiomas (Francês e inglês, se for o caso);
    • Cópia do Diploma ou certificado de conclusão de curso;
    • Cópia do Histórico escolar (da faculdade e do 2º grau – nesta ordem);
    • Cópia da Carteira de Trabalho (foto, dados pessoais e assinaturas de todas as empresas relacionadas no formulário);
    • Contrat relatif à la capacité d’autonomie financière (só na documentação do requerente principal).

Colocamos nessa ordem. Grampeamos os documentos separando mais ou menos por categoria: DCS, Documentos pessoais, Estudos, Comprovações de trabalho e contrato de autonomia financeira. Juntamos tudo e pusemos um clip separando o meu do de Alexandre. Aí colocamos num plástico (daqueles de fichário mesmo) e pusemos num envelope. Depois colocamos no envelope do Sedex.

Como esse post ficou maior do que pensávamos, irei dividir. No próximo post faremos o passo a passo para preenchimento do DCS, ok? Lembrando que a fonte oficial contém todas as alterações que porventura venham a ser feitas no processo e que ele se refere ao modo como nós organizamos os documentos (sendo que colocamos apenas os documentos necessários no nosso caso – quem tem filhos ou exerce uma profissão regulamentada, por exemplo, tem outros documentos que precisa enviar).

À la prochaine!!!